A composição da ração animal

O que a composição da ração animal deve atender?

Produtores e técnicos que trabalham ligados ao setor de saúde já se preocupam com a composição da ração animal. Mas existiria uma fórmula específica que atenda a todos os casos? Embora não exista uma composição única que garanta desempenho para a produção animal, podemos dizer que existe um padrão. Uma linha que faz sentido quando o assunto é desempenho.

RAÇÃO ANIMALNUTRIÇÃO ANIMAL PARA DESEMPENHO

Cada espécie tem uma exigência nutricional específica para crescer, desenvolve-se e produzir. Tudo isso, respeitando a saúde. E para aumentar a produtividade por meio da alimentação, precisamos levar em consideração outros fatores. O primeiro passo é conhecer o potencial genético da criação. Por exemplo: para que um cavalo seja campeão de corrida, apenas a alimentação não é o suficiente. Ele precisa ter uma predisposição genética para cumprir essa tarefa. A partir disso, é possível ministrar a ração animal correta, que atenda a exigência nutricional da espécie para performar.

EXEMPLOS DE COMPOSIÇÃO DA RAÇÃO ANIMAL

O concentrado Soma Alto Grão é um produto com 34% de Proteína Bruta, minerais, enriquecido com vitaminas A, D e E, desenvolvido para confinamentos de bovinos de corte sem o uso de volumoso, tendo como dieta exclusiva o concentrado e o milho em grão. É um produto peletizado, que facilita a homogeneização da dieta. A Soma Alto Grão possui a virginiamicina, melhorador de desempenho animal. Ela reduz a produção de ácido no rúmen, dando estabilidade ao pH ruminal. Possui também a monensina em sua formulação, proporcionando melhor conversão alimentar e equilíbrio da flora do rúmen.

Para ser uma ração completa

Atendendo esta necessidade específica de sistema de produção e categoria animal, o produtor deve misturar 15% de Soma Alto Grão com 85% de grãos inteiros de milho (sem moer ou quebrar), compondo assim uma ração animal que será a dieta exclusiva (portanto isenta de volumoso).  Depois de adaptado, fornecer entre 2,0% e 2,2% do peso corporal diariamente, dividindo a dieta total em pelo menos duas refeições diárias. Caso os animais ainda não estejam adaptados à dieta sem volumoso, é necessário realizar a adaptação e sempre deixar água à vontade.

No caso dos bovinos de leite

Temos, por exemplo, a Soma Vedete 24. Ela é formulada com 24% de Proteína Bruta, alta energia, minerais, enriquecida com vitaminas A, D e E, elaborada com ingredientes nobres, indicada para atender exigências nutricionais de animais de alto potencial de produção. O uso é mais indicado com volumosos de boa qualidade, silagens de forma geral, bem como adicionada em dieta total. Para maior desempenho produtivo das vacas, o produto possui o ionóforo lasalocida em sua formulação, o qual melhora a eficiência alimentar, possuindo também palatabilizante.

A quantidade da Vedete 24 a ser fornecida para vacas em produção vai depender da oferta e do valor nutritivo do volumoso, da condição corporal, da produção de leite e do estágio de produção do animal. Em média, para cada 3kg de leite produzido, deve ser fornecido 1kg de ração Vedete 24. Para evitar distúrbios metabólicos em vacas que não consumiam alimento concentrado na dieta, é preciso realizar um período de adaptação de pelo menos sete dias, aumentando gradativamente a quantidade de concentrado.

 

Nesses exemplos, conseguirmos perceber o quão importante é a composição da ração animal para o desempenho. O que não podemos perder de vista é a qualidade dos produtos fornecidos para a criação. Baixe nosso e-book “Nutrição animal: o passo a passo da produção de insumos” e conheça um pouco mais sobre como é feita uma ração animal de qualidade.

 

Materiais

 

Relacionados

Edital Nº 01/2020

Edital Nº 01/2020

4, fevereiro 2020